Aluga-se pedacinho de céu
Agora eu tenho tudo

Um bom lugar, boas pessoas, boa casa

Casa, já que de “lar” 

Não sei se dá pra chamar

Pra mim estar em lugar aberto

Em contato com a terra e o ar

Faz-me sentir mais em casa, de certo

Do que aonde realmente deveria ser lar

E o que aconteceu?

Queria ter dito tanta coisa

Mas não deu

E pra onde a gente vai quando o sonho acaba

Quando a luz que era chama se apaga

Eu não sei se ver o céu era pedir demais

Acontece que era 

Nem marte, nem eclipse, nem lua vermelha

Nem céu, muito menos estrela

Nada daquilo que eu aprendi a amar

Acontece que amor não tem só que ficar

Tem que encontrar outras coisas pra amar

Sem esquecer das fotos na geladeira

Que me lembram a noite inteira

A última frase antes de olhar pra trás

E ela dizia “hey, você pode mais!

Tudo isso sempre será seu”

E eu?

Quis dizer tanta coisa

Mas não deu…



-S.C
8th April, TuesdayReblog
Um drink no meu inferno

Pego meu coração e desfaço

Em mil pedaços, mil orações

Em pedidos de sossego

Ouço mil canções

Elas me dizem “morra”

E reencarne em  outro ser

Que tal uma puta de Amsterdam

Sem coração, sem culpa, sem amor

Pode ser

Todos me perguntam “o que você fez?”

Fui pro inferno bate volta mais uma vez

E toda vez o cão quem me pergunta

"Fique pra jantar" 

E toda vez eu digo que não dá

Ele me oferece: cocaina, anfetamina, ritalina

Confesso á vocês que nada mais me anima

E construo de novo o pobre coração

Que cansado de andar tanto na contramão

Me implora “Dá um fim nisso ou recomece outra vez”

Penso na proposta que o diabo fez

Mas não fico pra jantar e você sabe o porquê

A razão do recomeço e de querer voltar

É sempre você

Sarah Conca

30th March, SundayReblog
Oh, baby, eu preciso tanto de amor…
Quem sabe um dia não o encontro em mim mesma?
Enquanto isso, deixa a chuva branda cair
E me acalma e traz alívio
De que um novo dia está por vir…

Sarah Conca

19th March, WednesdayReblog
Agradecer

Antes de pensar em lhe pedir alguma coisa, ó mãe

Todos os dias eu lhe agradeço

Pela vida, pela colheita dos bons frutos

Pelos seres de luz que á mim rodeam

Pela capacidade que me deste de enxergar meus erros

E corrigi-los á tempo

Agradeço também, ó Deusa

Pela tormenta que me fez crescer

Pelas dificuldades que passei pra me fazer enxergar

Por me dar a oportunidade de crescer

De curar minha ferida, pra ser teu escudo

Contra os ignorantes

Obrigada, mãe

Pelos caminhos que me fizeste semear pra chegar á ti

E que, todas as noites antes de lhe pedir

Eu nunca esqueça de agradecer

Á mãe-terra, á Gaia, á Deusa tríplice

Á mabon por sua chegada

E Brawen por sua visita

Pois muito mais do que lamentar

Muito mais do que querer

Muito mais do que pedir

É agradecer.

Seja ao mundo espiritual ou físico

Agradeça.

Sarah Conca

9th March, SundayReblog
Proteção aos meus protegidos. 

Proteção aos meus protegidos. 

Última dança

Já que meu destino não é mais tão incerto

Quero te ter mais perto

Te puxar pra dançar

Mas na verdade é so o ar

Com quem eu danço

E não me canso

O dia ameaça nascer

E os pés não param de doer

Mas a minha maior vontade

Quando o Sol invade

É comemorar sua chegada

Na montanha gelada

Nem sei ainda se mereço

Abro os braços e agradeço

Pelos seres da noite

Pela insanidade deles

E por ter me feito de tão imenso coração

Para que possa abrigar, então

Todos eles em um só

Sarah Conca

7th March, FridayReblog
Limite da minha capacidade de pensar

Porque tão triste, meu bem? Me diga o que fazer pra tirar essa mágoa do teu peito. Eu sei, você anda tão deprimido ultimamente…

Eu queria poder ajudá-lo, mas tu só enxergas a ponta do iceberg, e não se interessa em mergulhar mais fundo, e se arriscar no mar gélido para descobrir se há algo mais lá embaixo. A maioria das pessoas são assim sabe? Elas tem medo de se arriscar, medo das decepções, e é isso que as tornam tão frias. Eu não. É tão estranho pois mesmo que o frio me consuma, eu prefiro mergulhar de cabeça na imensidão. E dane-se aonde ela vai dar, ou se morrerei congelada até la. E foi assim que mergulhei em você… e me afoguei. Ainda não sei dizer se isso é bom ou ruim, mas fico esperando que você se afogue em mim também, mas você não vai além do raso.

Eu queria te mostrar um mundo além das aparências, um mundo meu, que só eu conheço, e queria que você fizesse parte dele. Seria mais fácil se você não enxergasse só o que quer ver. A vida é dura, meu bem…mas pode ser linda.

Afogue-se. E eu te mostro como vale á pena se lambuzar de vida.

Sarah Conca

27th February, ThursdayReblog
Faz de conta que não acontece

Há pouco tempo atrás eu baixei a cabeça pro destino, e me confirmei: Morrerei sozinha. Todo mundo morre sozinho, porque comigo seria diferente? Ainda mais eu, que consigo fazer os homens me odiarem para sempre, ao ponto de deixá-los tão antissociais ao ponto de fazerem cara feia se os chamassem para tomar um café. Whatever.

Ai conheci um rapaz. Ou melhor, eu o redescobri. A nossa história ficou uma incógnita no passado, e ás vezes por um mal entendido não ficamos juntos. Mas será que se tivéssemos, estaríamos juntos hoje? Não faz sentido se perguntar isso.

Esse rapaz me fez descobrir uma coisa que eu até então desconhecia pelo próximo: Amor. Ele se alastra de várias formas, mas dessa forma que ele me apresentou, eu não conhecia. E por não conhecer, não soube como lidar com ele, na verdade ainda não sei. Mas esse rapaz despertou o amor em mim sem querer. E eu acreditei nele, e que era recíproco. Acreditei e acredito até hoje que meu amor por ele é inabalável, o mais belo de todos, como num conto de fadas com “felizes para sempre”. NÃO! Não é. Mas vai explicar isso pra uma moça que está descobrindo esse sentimento, que da noite pro dia a fez desistir da ideia de morrer sozinha…agora eu apostava todas as fichas de que nós viveríamos juntos, envelheceríamos juntos e então, morreríamos juntos. Mal sabia que estava pra cometer o pior erro que muitos humanos comuns cometem todos os dias, de acreditar em amor eterno.

E agora me crucifico pelos meus erros, lamento pela minha doce ilusão em acreditar nele, e me ponho de joelhos no chão pedindo que não me deixe, pois sem ele não encontro mais razão para nada do que eu faço. 

"Não, não fuja não!

Finja que agora eu era o seu brinquedo

Eu era o seu pião, o seu bicho preferido…

Vem, me dê a mão! A gente agora já não tinha medo

No tempo da maldade acho que a gente nem tinha nascido…

Agora era fatal, que o faz-de-conta terminasse assim

Pra lá deste quintal, era uma noite que não tem mais fim

Pois você sumiu no mundo sem me avisar

E agora eu era um louco a perguntar:

O que é que a vida vai fazer de mim?”

:/

Sarah Conca

26th February, WednesdayReblog
Olhos do oceano

O carnaval acabou, e eu ainda não consigo acreditar no teu amor. E mesmo sem saber, chorei cada copo virado, ignorei cada olhar encarado, dancei como se fosse você ao meu lado, por você e pra você. Mas de que adianta tudo isso se não tenho nada a lhe oferecer?

É quando penso na menina, mulher da pele branca e olhos cor do oceano. Eu sei, não lhe culpo, eles costumam ser penetrantes. E te tiraram de mim, e dos meus olhos cor-de-tanto-faz-o-olho-que-é-enorme. Perto dos dela, nada sou. Nada fui.

Você diz que me ama e que já se esqueceu daqueles olhos. Mas quando lembro da tuas palavras que a exaltava como a mulher mais perfeita deste mundo, o meu desaba. E choro mais uma noite em claro feito criança desamparada. Além disso meu bem, tem outras coisas…Ela provavelmente jamais o envergonho, ora, como seria vergonhoso tê-la ao seu lado? Mas eu supero, meu bem. Sempre supero, pois o que me conforta é saber que mesmo da cor do oceano, estes e outros olhos que você tanto se sente atraido, são vazios no fundo.

Essa noite desabei como é de se esperar. Virei á noite pensando nos olhos, na pele e cabelo que nada tem em mim e me bateu a angústia, fui me deitar com essa tal de angústia que não me deixa em paz.

Olhei diretamente para os meus olhos no espelho. Eles não tinham vida, não eram atraentes e não lembravam o oceano, a não ser pelo tanto de lágrimas que rolaram. E no fundo deles, você podia me ver refletida: a moça dos olhos marejados e sem graças, mas que continha neles todo o amor do mundo, concentrado em um só

Em você.

Sarah Conca

25th February, TuesdayReblog
X

Hoje eu tive um pesadelo e acordei num salto. Procurei no escuro você pra me agarrar, mas só encontrei lençóis. Meu pesadelo foi estranho, e me deixou uma interrogação eterna.

Eu caminhava pela areia da praia, observando o lagarto que brilhava ao Sol, e perto dali escutei uma voz feminina que cantava The Crystal Ship. Me aproximei, e era Jim e Pam.

E naquele momento não me veio á cabeça que eles poderiam estar mortos e eu só estava alucinando, mas só de uma coisa eu sabia: Jim Morrison nasceu pra ser Jim Morrison, e Pamela Courson nasceu para ser Pamela Courson, e ambos nasceram pra ficar juntos e morrer juntos. Ela era realmente bela, e Jim sorria quando ela colocava seus pés no raso e dançava como folha ao vento. Me aproximei ainda mais. E jim agora era você, e Pamela? Bem, até agora não sei, mas não achei que fosse eu. Talvez fosse por teimosia minha, mas eu não a reconhecia. Só sei que não era mais Pam.

Desconsertada, peguei as chaves da Savero vermelha sem saber pra onde estava indo, ou se sabia mesmo dirigir. Só fui. Quando olhei para o lado, dele estava o xamã, e quando ele aparece, sei que algo está errado e ele quer me apontar o que é. Ele balançou a cabeça, em sinal de não. Eu parei, suspirei, e olhei nos olhos dele. Olhar nos olhos do xamã é como ultrapassar um universo inteiro, e ver que a sua existência é insignificante e não mais valiosa que as demais.

Desci do carro, e você veio á meu encontro, decepcionado, querendo conversar. E então, eu acordo.

E agora? Quem será a tal garota? Será que era eu mesma, e o xamã tentava me mostrar que estava fazendo besteira? Se Jim e Pam nasceram para morrer juntos, quem seria no caso, a sua Pam? O sonho me deixou esperando por horas até te contar, mas você como sempre, não deu bola. Mas pra mim teve importância.

Prefiro eu acreditar que eu era a garota, e que o xamã é a cura pra todo mal que vem nos acobertando, e que ele é capaz de acalmar as tormentas. Prefiro me iludir, do que um dia pensar que eu não sou sua Pam, você não é meu Jim, e assim, Não restaria nada de mim, de nós,e nos perderíamos para sempre.

Sarah Conca

20th February, ThursdayReblog